A aquisição do Whatsapp pelo Facebook impressiona não só pela ampliação do império de Mark Zuckerberg nas redes (ele já havia adquirido o Instagram em 2012, além de outras startups), mas também pelo valor do negócio — 16 bilhões de dólares, sendo 12 bilhões em ações do Facebook e 4 bilhões em dinheiro. Há ainda 3 bilhões de dólares extras em ações que serão ofertadas aos fundadores e funcionários do Whatsapp nos próximos quatro anos.

O valor surpreende porque o aplicativo, criado em 2009, teve como único investimento externo um aporte de 8 milhões de dólares do fundo Sequoia. Em 2013, o Whatsapp contava com apenas 50 funcionários e uma base de usuários de 450 milhões de pessoas.

No Brasil, poucas empresas possuem um valor de mercado tão alto, sobretudo nos últimos meses, em que o Ibovespa renovou mínimas não vistas desde a década passada. Com exceção de Ambev, Vale, Petrobras e os maiores bancos do país, praticamente todas as empresas de capital aberto possuem valor de mercado inferior ao do Whatsapp. Confira dez ícones da indústria brasileira que valem menos — muito menos — que o aplicativo.

Conheça 10 grandes empresas brasileiras que valem menos que o Whatsapp

Advertisements